Tag: la fria

O terno masculino

Todos concordam que um homem bem vestido projeta uma imagem de sucesso, certo? O que ninguém lembra, é o somatório de coisas que o homem precisa prestar atenção na hora de escolher o traje: O tamanho da calça e sua bainha, o comprimento da manga, a largura da calça, o tipo de tecido… Para facilitar a vida deles, vamos compartilhar algumas dicas que são utilizadas numa consultoria de imagem ou pelo próprio alfaiate:

terno
1) Se você acha que um determinado terno não vale o investimento, pense duas vezes – principalmente se você utilizar o traje para trabalhar;

Isso significa que, quanto mais você utilizar uma peça, mais barata ela será! Por isso, nem sempre um terno que custa 5 dígitos ou mais, é caro. Vamos fazer uma conta rápida:

Digamos que você tenha 5 bons ternos e utilize um para cada dia da semana. Vamos desconsiderar férias e calcular uma média de 4 semanas por mês, logo, você deverá utilizar o terno 48 vezes por ano.
1 Terno: R$ 3.000,00
Vida útil média: 6 anos
Uso x vida útil: 48 (dias de uso/ano) x 6 (vida útil média) = 288

Então, devemos dividir o valor do terno pelo número de vezes que ele será utilizado ao longo da sua vida útil estimada.

R$3.000,00 : 288 = R$ 10,42 será o valor de cada terno por uso.

Agora, se você for usar apenas para ocasiões especiais, aumente a vida útil e reduza a quantidade de usos por ano. Se você usar o terno 4 vezes ao ano e o traje “durar” 8 anos (32 usos), ele custará R$ 93,75 por uso.

2) Lembre-se que o terno deve apresentar um caimento impecável.

3) O tecido precisa ser de qualidade, inclusive o forro! Normalmente os bons ternos são feitos com lá.  Existe uma classificação para determinar o tipo de lá –  Terno Super 80, Terno Super 100 e assim por diante. O melhor tecido para ternos é a lã fria e, para ser considerado um terno de lã fria, a classificação deverá ser igual ou superior a Super 100. Quanto maior o número seguido do Super, mais leve, fina e mais cara é a lã.

Algumas marcas renomadas, utilizam uma combinação de lã fria com mohair (que é um tecido nobre, semelhante à seda, obtido através do pelo de cabra Angorá), deixando o tecido final com um maior brilho. Mas atenção: Um terno feito apenas com mohair ficará exagerado por apresentar muito brilho;

4) Veja, no paletó, se a costura respeita o tamanho dos ombros. Ela deve ficar exatamente em cima dos ombros;

5) A calça deve estar alinhada com o comprimento e não pode ser larga ou justa demais;

6) A manga do paletó deverá ser um pouco menor do que a do punho da camisa;

7) Lembre-se de não abotoar todos botões do paletó. O último (aquele botão que está próximo da calça) não deve ser abotoado. Você poderá abotoar apenas o do meio ou os dois primeiros, se o terno possuir 3 botões. E o primeiro botão (próximo da camisa), caso o terno possua 2 botões;

8) De nada adiantará investir em um terno de qualidade se você colocar uma gravata com aspecto barato, ou se você não souber adequar o tamanho do colarinho ao nó utilizado… Prefira as gravatas de seda e, se possível, confeccionadas manualmente;

9) Leia as instruções de lavagens e siga as orientações do fabricante. Aquela etiqueta não está no terno por acaso;

10) Para uma aparência elegante e tradicional, escolha os nós mais clássicos:

Half- Windsor:

half windsor

 

Windsor:

windsor

 

Four in hand:

 

four

Esperamos que vocês aproveitem as dicas!!!